O perigo da utilização indiscriminada das plantas medicinais.


O uso das plantas medicinais na cura de doenças e melhoria da qualidade de vida tem sido utilizado desde o inicio da humanidade, hoje muitas das receitas que eram apenas do conhecimento popular tem sua eficácia comprovada pela ciência. Na Índia e na China o uso das plantas já faz parte da medicina por pelo menos 2000 anos. No Brasil ainda não se tem um conhecimento razoável sobre a forma de utilização dessas plantas, a maioria dos usuários utilizam as ervas de forma incorreta ou ineficaz, o modismo ainda é uma forma de se conhecer as plantas de uso medicinal, entretanto passageira.

As matérias em revistas e em sites não científicos tornam o uso das plantas medicinais de certa forma até perigoso, entretanto as reportagens na televisão têm seguido um formato que deveria ser utilizado pelas revistas e pelos sites, como a consulta a especialista da área.

O local e o estado onde a maioria das pessoas adquire as ervas é outro problema que pode até se tornar um risco a saúde, muitas ervas são vendidas na rua ou expostas ao ar livre em feiras e mercados populares, quando o correto seriam essas plantas serem vendidas embaladas e beneficiadas de forma adequada. Tive a oportunidade de presenciar plantas secas ao sol embaladas e serem vendidas nas ruas das cidades. Essas plantas não possuem princípio ativo algum, podendo ainda sofrer contaminação por microrganismos.

Outro problema da falta de conhecimento sobre a utilização das ervas medicinais esta na forma e dosagem de uso, pois dependendo da forma a planta pode ser eficaz ou não, assim como a dosagem se for baixa pode não ter o efeito procurado se for alta pode causar intoxicações e efeitos adversos. Conheci um caso em que a pessoa usou ervas compradas em raizeiro para emagrecer, tomou um litro de garrafada com os três tipos de ervas em apenas um dia, ou seja, tomou em torno de 10 vezes a dosagem recomendada. A conseqüência foi provavelmente uma alteração hormonal que causou efeito contrário que foi um aumento de peso, mais que o triplo do que tinha antes em pouco tempo. Em outro caso a pessoa apresentou sintomas de contaminação por microrganismos, tal como diarreia, o que foi confirmado pelo médico que o atendeu.

Ainda é muito comum seguir receitas indicadas por parentes ou vizinhos sem conhecimento das ervas, mas é outro grande risco que pode até agravar a saúde. Foi o caso da utilização do suco de carambola para pacientes crônicos renais, indicada provavelmente pela mídia, esse suco piora a situação desses pacientes, pois a carambola é rica em potássio que não é filtrado pelo rim e se torna tóxico para o organismo.

O conhecimento através dos nomes populares das plantas pode gerar duvidas e enganos na sua utilização, como o caso da espinheira-santa, existem várias espécies sendo comercializadas com este nome, algumas delas sem o efeito comprovado para a Maytenus ilicifolia.


A falta de identificação da planta, entretanto, é outro fator grave, pois quem vende ou coleta a planta, geralmente, não tem conhecimentos para saber se a planta em questão é com certeza a planta correta para uso medicinal, podendo causar graves danos à saúde aos seus clientes.

#plantasmedicinais #contaminação #doenças #qualidadedevida #feiras #microrganismos #intoxicações

Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square