Fitoterapia para o acidente vascular cerebral (AVC)


O derrame como é mais conhecido pode deixar sequelas irreversíveis, é uma das principais causas de mortes em todo o mundo. O AVC é caracterizado por um coágulo que se aloja em uma artéria do cérebro, cortando o suprimento de oxigênio para parte desse órgão essencial. Sempre que ocorre o coágulo sanguíneo, a área em torno dele morre ou torna-se danificada, e as funções do corpo controladas por essa área tornam-se prejudicadas. Quando a acidente vascular cerebral não provoca a morte, pode deixar uma grave sequela, como a perda da capacidade de falar ou paralisia de parte do corpo.

O AVC isquêmico é geralmente precedido por vários ataques isquêmicos transitórios, podendo durar desde alguns segundos a várias horas e causar sintomas de derrame que, eventualmente, cessam por conta própria. Aqueles que sofrem esse tipo de AVC geralmente se recuperam total ou em parte, entretanto indica um risco real de acidente vascular cerebral que pode no futuro causar danos mais graves e muitas vezes um sinal para se iniciar o tratamento preventivo.

O outro tipo de acidente vascular cerebral é o hemorrágico onde o vaso sanguíneo cerebral se rompe e o resultado é o mesmo que no AVC isquêmico, comprometimento da parte do corpo que é controlada pela área danificada.

Para evitar o acidente vascular cerebral isquêmico mais comum, os médicos tentam prevenir coágulos sanguíneos arteriais, ao prescrever medicamentos anticoagulantes (para afinar o sangue). Mas quando isso é feito, o fator que aumenta o risco de sangramento no cérebro não vai parar, aumentando assim o risco de acidente vascular cerebral hemorrágico. Assim, a prevenção do AVC envolve ações de difícil controle.

A grande maioria dos acidentes vasculares cerebrais é isquêmica, a maioria das sugestões nesta matéria refere-se a impedir a coagulação do sangue cerebral. Mas reitero que acidentes vasculares cerebrais hemorrágicos é também uma possibilidade, especialmente para aqueles com histórico pessoal ou familiar de acidente vascular cerebral hemorrágico ou aneurisma (uma dilatação critica dos vasos sanguíneos).

Se você tem pressão alta, que é o principal fator de risco para acidente vascular cerebral, consulte um médico para o tratamento. Lembre-se: É importante seguir os conselhos da medicina preventiva que vem do seu médico, sempre informando o tipo de tratamento fitoterápico que esta sendo utilizado.

Aqui estão algumas ervas que podem ser utilizadas para prevenção e tratamento do AVC. Entretanto deve-se sempre ter em mente que os vegetais cultivados com agrotóxicos causam danos à saúde a curto e a longo prazo, deve-se dar preferência a vegetais cultivados sem agrotóxicos para que na intenção de se curar de um problema, não agravá-lo ou adquirir outro problema de saúde.

Alho (Allium sativum). Este tempero é encontrado em qualquer lugar do mundo, faz parte da culinária básica em qualquer receita e a facilidade da sua utilização é uma das principais razões para o seu emprego como nutriente e para a cura de doenças. O alho é a melhor erva para evitar a coagulação sanguínea, pois contêm mais compostos anticoagulantes que qualquer outra planta, nove, para ser exato. É uma erva importante para a prevenção de ataque cardíaco devido ao seu efeito de diluir o sangue e sua capacidade de ajudar a controlar a pressão arterial elevada. Estes mesmos efeitos também ajudam a prevenir acidente vascular cerebral isquêmico. O alho pode ser usado na culinária e também na forma de cápsulas de alho, que estão disponíveis em lojas de produtos naturais e farmácias. Outras plantas da família do alho como, cebola, cebolinha, alho-porró tem benefícios semelhantes. Entretanto, se a pessoa esta no grupo de risco de acidente vascular cerebral hemorrágico, não deve utilizar o alho e outras ervas anticoagulantes.

Ginkgo (Ginkgo biloba). É amplamente usada na Europa para tratar complicações de acidente vascular cerebral, incluindo a memória e problemas de equilíbrio. Muitos estudos mostram que esta planta aumenta o fluxo sanguíneo para o cérebro. Também ajuda a reduzir a fragilidade dos vasos capilares, os vasos sanguíneos minúsculos que se espalham por todo o corpo, e que pode ajudar a prevenir acidente vascular cerebral hemorrágico. Na Europa, muitos idosos tomar ginkgo regularmente. No Brasil, a utilização desta planta por idosos esta se tornando cada vez mais popular, os fitoterápicos a base desta planta podem ser encontrados em qualquer farmácia ou pode ser manipulado. Para aproveitar melhor os benefícios desta erva, deve-se adquirir o extrato padronizado, que esta largamente disponível em lojas de produtos naturais e farmácias. Pode ser ingerido entre 60 a 240 miligramas por dia, mas não se deve aumentar além desta dose. Em grandes quantidades, ginkgo pode causar irritabilidade, diarreia e inquietação.

Caruru (Amaranthus, várias espécies). É uma planta rica em cálcio, vários estudos mostraram que, pessoas que consumiram mais cálcio, tinham apenas um terço o risco de sofrer de ataque cardíaco. Estes resultados também se aplicam aos acidentes vasculares cerebrais isquêmicos, porque são biologicamente semelhantes a um ataque cardíaco. Esta planta pode ser encontrada em qualquer lugar, em terrenos baldios, próximos de plantações e até mesmo no quintal de sua casa. Existem dezenas de espécies conhecidas como caruru-roxo, caruru-espinhoso, caruru-rasteiro, caruru-hibrido, etc. O caruru, uma planta tão comum no Brasil que é combatida como invasora, é uma fonte excelente de cálcio, com 5,3 por cento em relação ao peso seco. Cerca de um terço de um grama de folhas frescas de caruru equivale a 500 miligramas de cálcio, sendo que o valor diário recomendado é de 1.000 miligramas. As folhas podem ser usadas em saladas ou cozidas no vapor, também pode ser utilizada em molhos no lugar do manjericão, por exemplo. No Brasil, nas regiões Norte e Sul o caruru é comumente consumido na salada. Outras plantas também são ricas em cálcio: falsa-serralha, urtiga, feijão fava, agrião, alcaçuz, manjerona, segurelha, brotos de trevo vermelho, repolho, tomilho, manjericão, semente de aipo, dente-de-leão e beldroega.

Salgueiro (Salix alba). O salgueiro branco é a fonte original da aspirina, no Brasil é mais conhecido o salgueiro-chorão, árvore cultivada como ornamental. A aspirina em doses baixas - metade de um comprimido por dia - tem sido eficiente para reduzir o risco de AVC isquêmico em cerca de 18 por cento. A dose baixa de aspirina também reduz o risco de ataque cardíaco em cerca de 40 por cento nos homens e 25 por cento em mulheres. Pode ser ingerido um comprimido de aspirina por dia ou pode ser utilizado as ervas na forma de chás, como da casca do salgueiro. Adicionar uma colher ou duas da casca seca, pode ser tomado quente ou gelado, na forma de garrafada e beber 2 a 3 copos por dia. A casca do salgueiro, assim como a aspirina deve ser usada apenas para prevenir e tratar AVC isquêmico. Eles são poderosos anticoagulantes e podem aumentar o risco de hemorragia, incluindo acidente vascular cerebral hemorrágico. Na verdade, alguns estudos científicos que mostraram a capacidade da aspirina em prevenir ataques cardíacos, apresentaram um ligeiro aumento no risco de AVC hemorrágico se for tomada a aspirina diariamente. O aumento foi pequeno e não significativo estatisticamente, mas se você está no grupo de risco para este tipo de problema, consulte o seu médico antes de tomar aspirina ou qualquer erva com o efeito da aspirina.

Cenoura (Daucus carota). Foi comprovado cientificamente que o consumo de cenouras (e em menor medida, espinafres) reduziu significativamente o risco de AVC em mulheres. Aquelas que consumiram cinco porções de cenouras por semana sofreram 68 por cento menos ataques do que aquelas que consumiram cenouras menos de duas vezes por mês. As cenouras são ricas em carotenoides, beta-caroteno e outros, e possuem todos os membros da família da vitamina A. Outros estudos mostrou que as pessoas podem reduzir o risco de derrame em até 54 por cento se consumirem muitas frutas e vegetais ricos em beta-caroteno e vitaminas C e E.

Ervilha (Pisum sativum). Quase todas as leguminosas contêm genisteína, que parece ser um nutriente preventivo do câncer. Os cientistas acreditam que uma dieta rica em genisteína, como o tofu, um produto a base de soja, é um dos motivos para as mulheres asiáticas ter uma taxa tão baixa de câncer de mama. Além de proteger contra o câncer, a genisteína também parece ter um significativo efeito anticoagulante, o que significa que também pode ajudar a prevenir acidente vascular cerebral e ataque cardíaco.

Abacaxi (Ananas comosus). O abacaxi é uma planta que fornece o seu fruto praticamente durante todo o ano, é muito utilizado em doces e como suco na forma de polpa. Abacaxi contém um composto conhecido como bromelina que tem a capacidade de quebrar as proteínas. É um ingrediente chave em amaciadores de carne. Mas a bromelina também possui ação anticoagulante que pode ajudar a prevenir acidente vascular cerebral e ataque cardíaco.

Amora (Morus alba). As amoras contêm compostos conhecidos como antocianidinas. Estudos mostraram que estes compostos ajudam a prevenir coágulos sanguíneos e também quebrar depósitos de placas de gordura das artérias. Além disso, algumas evidências sugerem que as amoras ajudam a manter limpos os vasos capilares. Por todas estas razões, este fruto pode ajudar a prevenir acidente vascular cerebral isquêmico, sem aumentar o risco de AVC hemorrágico. Um copo de suco de amoras tomadas duas vezes por semana pode ajudar a prevenir o AVC.

Gengibre (Zingiber officinale). Esta é outra planta com capacidade anticoagulante comprovada. Duas colheres de chá gengibre por dia, durante uma semana, neutralizaram o efeito de coagulação do sangue de 100 gramas de manteiga. A manteiga é muito rica em colesterol, que contribui para acidentes vasculares cerebrais. O chá de gengibre pode ser feito com 1 a 2 colheres de chá de raiz fresca ralada por xícara de água fervente.

Espinafre (Spinacia oleracea). É uma boa fonte de ácido fólico que pode ajudar a prevenir doenças cardíacas e derrame. Comparado com as pessoas que consumiram pouco ácido fólico, aqueles que ingeriram mais, tiveram apenas metade da chance de apresentar o estreitamento da artéria carótida. O folato não é abundante nas plantas, mas, espinafre, couve, chicória, aspargos, mamão, quiabo e caruru têm este nutriente são importantes para a prevenção.

Açafrão (Cucurma longa). Muitos estudos mostram que o composto curcumina, que é encontrada na raiz desta planta ajuda a prevenir a formação de coágulos sanguíneos. O açafrão é um tempero utilizado também como corante em alguns pratos da culinária.


Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square